Política

Deputados vão pedir reunião com Robinson Faria para resolver crise com trabalhadores terceirizados

FOI REALIZADA NA TARDE DE ONTEM, NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA, NA QUAL SE BUSCOU SOLUÇÕES PARA EQUACIONAR O DÉBITO DE CERCA DE R$ 60 MILHÕES

FOI REALIZADA NA TARDE DE ONTEM, NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA, NA QUAL SE BUSCOU SOLUÇÕES PARA EQUACIONAR O DÉBITO DE CERCA DE R$ 60 MILHÕES

O deputado estadual Tomba Farias (PSB) confirmou na manhã de hoje que irá se reunir com o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), e com o líder do Governo, Dison Lisboa (PSD), com o objetivo de fazer com que a Assembleia Legislativa intermedeie um encontro emergencial entre o governador Robinson Faria e representantes de empresas que prestam serviços terceirizados para o governo do Estado. Embora o recesso parlamentar esteja batendo às portas da Assembléia Legislativa, o deputado enfatiza que essa reunião deve ser prioritária, para evitar que cerca de dez mil trabalhadores ligados a essas empresas terceirizadas percam seus empregos.

Diante de um plenário lotado de empresários e trabalhadores, todos indignados com a ausência de representantes do governo do Estado, Prefeitura do Natal e Prefeitura de Mossoró, foi realizada na tarde de ontem, na Assembleia Legislativa, uma audiência pública, na qual se buscou soluções para equacionar o débito de cerca de R$ 60 milhões que esses entes públicos mantêm com as empresas terceirizadas.

Presente ao evento, o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho, Fábio Romero, destacou que a situação chegou a esse nível – um débito de R$ 60 milhões e ameaça de desemprego de trabalhadores -, por falta de planejamento do governo do Estado e das prefeituras envolvidas. Segundo ele,seria preciso reduzir custos para manter a máquina. Romero disse também que o Ministério Público do Trabalho está sempre disponível para fazer suas mediações e propor termos de ajustamento.

Tanto o presidente do Sindicato Patronal das Empresas Prestadoras de Serviços Terceirizados (SINDPREST), Edmilson Pereira de Assis, quanto o representante dos trabalhadores, Domingos Silva Ferreira, foram unanimes em destacar que o agravamento da situação foi motivado pela falta de diálogo do governo do estado e das prefeituras de Natal e Mossoró, com os empresários.

Domingos Ferreira destacou também que os trabalhadores que prestam serviços a hospitais (maqueiros, encarregados de limpeza e da cozinha) vão paralisar suas atividades e lembrou que, na hora de quitar despesa de pessoal, o ente público desconsidera os funcionários terceirizados.


Deixe um Comentário