Política

Defesa de Fernando Freire diz que as decisões judiciais são influenciadas pelo envolvimento de políticos em investigações criminais

FERNANDO FREIRE CUMPRE PENA DE 13 ANOS E 4 MESES DE PRISÃO, ALÉM DE MULTA. FOTO: TRIBUNA DO NORTE

FERNANDO FREIRE CUMPRE PENA DE 13 ANOS E 4 MESES DE PRISÃO, ALÉM DE MULTA. FOTO: TRIBUNA DO NORTE

O advogado Flaviano Gama, defensor do ex-governador Fernando Freire, disse na manhã de hoje que o envolvimento de políticos em investigações criminais tem influenciado as decisões judiciais, que também parece sofrer o efeito da intensa exposição midiática. Caso esteja correta a teoria de Gama, este talvez seja um dos motivos que explique o fato de o ex-governador ver, rotineiramente, os seus pedidos de liberdade negados pela justiça do Rio Grande do Norte.

“Eu acho que o momento político atual está interferindo em todas as decisões da justiça, que acaba sendo muito cobrada pela imprensa e opinião publica”, disse o advogado Flaviano Gama.

Após ter um novo pedido de liberdade negado pela Justiça do RN, no último dia 8 de março, a defesa de Fernando Freire irá recorrer da decisão. Flaviano Gama descartou também a possibilidade de Freire ser beneficiado pelo instituto da “delação premiada”. Segundo ele, esta é uma possibilidade inexistente. “A defesa não cogita isso. Não há a menor possibilidade. Ele (Fernando Freire) não tem o que delatar”, enfatizou.

Flaviano Gama ressaltou também que não está boa a saúde física e emocional do ex-governador, preso desde julho de 2015. Ele, porém, garantiu que não é nada com uma gravidade, ao ponto de se evoluir a um eventual pedido de relaxamento por questões de doença.

Fernando Freire cumpre pena de 13 anos e quatro meses de prisão e multa de R$ 217 mil por envolvimento no esquema fraudulento de desvio de dinheiro público no período em que foi vice-governador e governador do RN, entre fevereiro e novembro de 2002.



Deixe um Comentário