Política

Comissionados da AL: Presidente Ezequiel Ferreira diz que “sabia de excessos”

PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RN EM ENTREVISTA NA INTERTV, NA MANHÃ SEGUNDA (07)

PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RN EM ENTREVISTA NA INTERTV, NA MANHÃ SEGUNDA (07) ( FOTO: REPRODUÇÃO/INTERTV)

Durante participação no programa Bom Dia RN, na Intertv Cabugi , na manhã desta segunda (07), o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira (PMDB), admitiu que já tinha conhecimento do excesso de cargos comissionados.

“Sim, já sabia que tinha excesso e estava cruzando informações em outubro do ano passado. Solicitei ao Tribunal de Contas o cruzamento de informações para ver quem tinha mais de um vínculo. Recebi, no dia 23 de dezembro, a informação. Identificamos 296 funcionários. A partir daí, fizemos uma comissão, que está investigando caso a caso”, declarou.

Segundo Ezequiel Ferreira, a exoneração dos quase 700 cargos comissionados não poderia ter acontecido antes por causa das investigações. “Foi feito um levantamento de caso a caso para chegarmos a esse número, que é um número expressivo e que será aumentado”, informou o presidente , acrescentando que o corte desses 700 cargos vai gerar uma economia de R$ 10 milhões por ano.

No último sábado, a Assembleia Legislativa do RN publicou uma lista com 363 exonerações e 19 demissões a pedido de servidores da Casa.  Entre os comissionados cortados da Casa, está a bacharel em Direito Janine Salustino Mesquita de Faria, filha do governador do Estado, Robinson Faria.

Desde a publicação do Portal da Transparência da AL no mês de fevereiro, que revelou mais de 2.500 cargos comissionados, alguns deles ocupados por pessoas que não trabalhavam, a casa legislativa passou a fazer do noticiário diário do RN, e tem gerado muita repercussão nas redes sociais com mobilizaçãos de potiguares que cobram medidas corretivas.

A Assembleia também publicou a nomeação de 18 pessoas em cargos comissionados e ainda a convocação de seis pessoas aprovadas em concurso público.

 



Deixe um Comentário