Natal

Comissão da Câmara Municipal debate problemas enfrentados por pessoas com deficiências visuais


Com o objetivo de debater os problemas enfrentados pelos deficientes visuais a Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida recebeu, na manhã desta quarta-feira (07), representantes do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual do Rio Grande do Norte (CAP), Secretaria Municipal de Educação, Sociedade dos Cegos de RN e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo.

“Hoje nossa pauta foi atrelada às pessoas com deficiência visual. Trouxemos instituições para nos embasar sobre os problemas que afetam essa população”, afirmou a vereadora Nina Souza (PEN), presidente da Comissão.

Para a vereadora Carla Dickson (PROS) a reunião desta quarta-feira foi importante para dar voz às instituições que trabalham em prol do deficiente visual, às instituições que podem proporcionar a acessibilidade e a inclusão social, assim como dar voz à população deficiente visual do município de Natal.

“Essa reunião foi de fundamental importância para debatermos a questão da deficiência visual em todos os seus espectros, porque existem diversos tipos, como o paciente com cegueira total, cegueira legal e baixa visão ou visão subnormal”, explicou a vice-presidente da Comissão.

A vereadora enfatizou que a reunião da Comissão proporcionou visibilidade às instituições que trabalham em prol dos deficientes visuais e que muitas vezes a população desconhece. “Hoje trouxemos, por exemplo, o CAP RN, que é uma instituição de extrema importância para ajudar pedagogicamente alunos da rede pública estadual e municipal, que apresentam a baixa visão, a se readaptarem”, concluiu Carla Dickson.

A coordenadora pedagógica do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual, Juliana Pinheiro, informou que a população desconhece as ações e os atendimentos prestados aos alunos com deficiência visual da rede estadual e municipal.
“Nós fizemos um levantamento e descobrimos que as próprias instituições escolares, que são o nosso público de atendimento, não conhecem o Centro. Então muitas vezes esses alunos ficam à margem nas salas de aulas, não são efetivamente inclusos por não possuírem livros adequados, livros em braile ou de fonte ampliada. Portanto, essa reunião foi um meio de divulgação do trabalho que o CAP desenvolve”, disse Juliana Pinheiro.

Outro tema definido na reunião da Comissão foi visitas às instituições que tratam sobre os direitos das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

“Nós acordamos que cada vereador ficará com a incumbência de visitar quatro instituições com o objetivo de trazer informações imprescindíveis e a partir daí a gente possa fazer as intervenções no município”, explicou Nina Souza. “Levaremos às instituições um questionário para fundamentar os próximos passos da Comissão. Através das nossas visitas iremos dar encaminhamento às demandas e às necessidades de cada instituição”, disse Júlia Arruda (PDT).

O vereador Robson Carvalho (PMB) também destacou que as visitas são importantes para que a Comissão possa propor soluções em relação aos problemas sofridos pela população com algum tipo de deficiência. “É relevante essa integração entre as instituições e a Comissão para que, através das visitas, a gente conheça in loco as necessidades e deficiências e possa tentar algumas alternativas para solucionar os problemas apresentados por cada instituição”, finalizou o vereador.


Deixe um Comentário