Política

Vereador Cícero Martins ingressa com representação no MPF para impedir realização de evento político-partidário na UFRN

Vereador Cícero Martins (PTB)

Declaradamente contra qualquer tipo de doutrinação política em instituições públicas de ensino, o vereador Cícero Martins (PTB) recebeu com indignação a notícia da realização de um evento político-partidário nas instalações da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, que está sendo organizado por partidos políticos de esquerda e pede Eleições Diretas no Brasil. Cícero Martins protocolou junto ao Ministério Público Federal uma representação para impedir a realização do evento.

De acordo com o vereador, a realização de eventos dessa natureza em órgãos públicos revela o “patrimonialismo ideológico” que afeta o Estado e usa a rede pública como propriedade privada, colocando-a a serviço dos seus próprios interesses e ideias e não a utiliza em consonância com os fins que lhe são próprios, como a prestação de serviços públicos de educação.

“Se o meu partido quiser discutir política, faremos isso na nossa sede, ou alugaremos um auditório. Jamais, irei utilizar a estrutura pública.” Primeiro porque não é justo utilizar dinheiro público para isso e, segundo, por respeitar a Lei”, justificou o vereador de Natal.

No mês de maio deste ano, o vereador já havia sido surpreendido com uma solicitação de apoio financeiro para o “FESTIVAL DIRETAS JÁ”. O ofício, entregue em seu gabinete na Câmara Municipal de Natal, com timbre da UFRN e do DCE, pedia uma contribuição no valor de R$ 400,00. Cícero Martins falou pessoalmente com a Reitora da Universidade sobre o ocorrido, mas não viu qualquer atitude por parte da UFRN. O vereador compara e questiona o posicionamento entre a gestão pública e privada.

“Observamos que nas instituições privadas há um controle por parte dos diretores. No entanto, nas instituições públicas, está ocorrendo guerras entre grêmios estudantis de Esquerda e de Direita, com a participação direta de diretores e professores. Uma verdadeira politicagem!”, declarou Cícero Martins.

Cícero Martins afirma que esses eventos constituem ato ilícito e devem ser apurados pelo Ministério Público Federal, a quem compete a defesa da ordem jurídica e do regime democrático.

“Entrei com essa “Representação no MPF”, em respeito aos universitários, que estão deixando de adquirir conhecimentos acadêmicos e profissionais, para escutarem discursos políticos em áreas internas da UFRN, o que é proibido por lei. nenhum partido possui esse Direito, não se trata de ideologia política, mas do simples cumprimento da nossa Constituição Federal”, finalizou o vereador.


2 Comentários

  • Muita pretensão do nobre vereador eleito com 3 mil votos querer interferir na gestão de um órgão federal cuja comunidade conta com 50 mil pessoas.
    Pela Constituição, o ensino universitário, tal como os demais níveis de ensino, tem por objetivo o desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania, e sua qualificação profissional (art. 205).
    Desta forma, a autonomia universitária, definida de forma plena no artigo 207 da Constituição, é um instrumento que tem por objetivo e encontra seus limites no atendimento aos fins mais gerais aos quais as Universidades se destinam, assim como no atendimento às normas mais gerais de probidade na gestão dos recursos públicos.
    Isso significa que órgãos externos devem poder, em qualquer tempo, avaliar e opinar sobre os trabalhos desenvolvidos pelas universidades; mas estas apreciações não poderão ter força decisória ou de autorização sobre o que e como as universidades devem ou não pesquisar e ensinar.
    Inclusive nobres vereadores.

  • Respeito quem pensa diferente, mas concordo plenamente com o nobre Vereador, e se a Magnifica Reitora a admiro mmo de forma anonima, estiver de acordo. enquanto Gestora tem de ser responsabilizada. Ali como em qq espaço público tem de uma haver respeito aos que pensam diferente

Deixe um Comentário