Geral

Brasil diz que vai ‘revisar’ segurança na Olimpíada após mortes na França

Sérgio Etchegoyen deu entrevista coletiva no Palácio do Planalto (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

SÉRGIO ETCHEGOYEN DEU ENTREVISTA COLETIVA NO PALÁCIO DO PLANALTO (FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL)

Motorista atropelou multidão e matou mais de 80 pessoas na França.Entre medidas, estão mais postos de controle e restrições no trânsito.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, informou nesta sexta-feira (15) em entrevista no Palácio do Planalto que o governo vai “revisar” as medidas de segurança para a Olimpíada, em razão das mortes registradas nesta quinta (14) em Nice (França). Entre as medidas, explicou, estão mais “postos de controle, mais barreiras e restrições no trânsito”.

Nesta quinta, um motorista de caminhão atropelou diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Queda da Bastilha, em Nice, no sul da França, matando ao menos 80 pessoas.

O presidente François Hollande anunciou que irá estender por mais três meses o estado de emergência, além de reforçar suas operações na Síria e no Iraque.

“Desde aquele momento [mortes em Nice], o Ministério da Justiça, o Ministério da Defesa e o GSI estão trabalhando para garantir que continuemos no mesmo nível de segurança nos Jogos Olímpicos, e isso vai exigir revisões, novas providências e exige muito trabalho intenso daqui para frente para que possamos manter o nível de segurança”, disse Etchegoyen.

“Essa revisão, obviamente, identificará algumas lacunas e posso lhes dizer, com bom grau de probabilidade, que o quadro atual nos sugere incremento de algumas medidas relativas aos Jogos. São medidas práticas, como mais postos de controle, mais barreiras e algumas restrições de trânsito. […] É importante que a população entenda que vamos trocar um pouquinho de conforto por muita segurança”, acrescentou.

Segundo o ministro, o planejamento de segurança feito até aqui será “auditado” para encontrar se houve “eventual lacuna” nas ações de preparação.

De acordo com o ministro do GSI, o presidente da República em exercício, Michel Temer, que está em São Paulo, antecipou sua volta para Brasília para a tarde desta sexta (que ocorreria somente no início da noite) para comandar, no Palácio do Planalto, uma reunião com o núcleo de ministérios responsável pela segurança das Olimpíadas: Justiça, Defesa e Segurança Institucional.

Ainda segundo Etchegoyen, as preocupações do governo em relação à segurança dos Jogos “subiram de patamar” desde o episódio na França, e por isso serão necessários o “ajuste e a revisão” de “todo o dispositivo de segurança” planejado para o evento esportivo. De acordo com o ministro, será preciso “maior integração” entre as pastas do governo responsáveis pela segurança.

“Mas sem querer transmitir um falso otimismo, o que seria de enorme irresponsabilidade, estamos pronto para os Jogos, não há dúvida. Apenas vamos revisar o planejamento, os procedimentos”, observou.

‘Possibilidades’ de ataques
Durante a entrevista, o ministro do GSI foi questionado sobre se os serviços de inteligência brasileiras já identificaram algum tipo de ameaça terrorista durante os Jogos. Segundo ele, não há a identificação de que alguma organização estaria planejando um ataque.

“Mas temos possibilidades de ocorrência [de ataques] no Brasil, como em qualquer outro lugar, considerando as atuais circunstâncias. E falo em possibilidade de ocorrência de fatos. Possibilidade. Mas não estamos focados nesta ou naquela organização e não vou me estender sobre informações mais detalhadas sobre as nossas operações”, disse.

Indagado, então, sobre se ao falar em “possibilidade” estaria relatando que o governo identificou uma “tentativa concreta” de ataque terrorista durante a Olimpíada, respondeu:

“Quando chegarmos a uma confirmação de que há uma tentativa concreta, aí mudamos a palavra para ‘probabilidade’. Vejam, quando temos um evento que reúne o mundo inteiro, todas as possibilidades que afetem a segurança é nosso dever levantá-las, e estamos preparados para que possamos reagir. Os graus de probabilidade vão sendo aumentados ou diminuídos”.

G1


Deixe um Comentário