Internacional

Bomba atinge maternidade na Síria

 IMAGEM DIVULGADA PELA ONG SAVE THE CHILDREN MOSTRA MATERNIDADE QUE FOI BOMBARDEADA NESTA SEXTA-FEIRA (29) EM IDLIB, NO NORTE DA SÍRIA (FOTO: SAVE THE CHILDREN VIA AP)


IMAGEM DIVULGADA PELA ONG SAVE THE CHILDREN MOSTRA MATERNIDADE QUE FOI BOMBARDEADA NESTA SEXTA-FEIRA (29)  (FOTO: SAVE THE CHILDREN VIA AP)

Uma maternidade foi atingida por um bombardeio em Idlib, no norte da Síria, nesta sexta-feira (29). A informação foi divulgada pela ONG “Save Children”, que apoia o centro médico, segundo a CNN. A estrutura do prédio ficou muito danificada. Essa é a única maternidade em um raio de cem quilômetros, segundo a Deutsche Welle.

Há informações de mortos, mas os números ainda não estão claros. O hospital tem a capacidade de atender cerca de 1,3 mil mulheres e crianças por mês. Em junho, 340 bebês nasceram no local, de acordo com a Save the Children.

Entre domingo (24) e segunda-feira (25), quatro hospitais de campanha e um banco de sangue na cidade síria de Aleppo, no norte do país, foram atingidos por bombardeios aéreos. Um bebê de dois dias morreu.

Corredores humanitários

A Organização das Nações Unidas (ONU) se ofereceu para controlar os corredores humanitários criados pela Rússia em Aleppo para permitir que 250 mil civis fujam da cidade sitiada. A informação foi divulgada pelo enviado especial para a Síria, Staffan de Mistura.

A abertura desses corredores, anunciada pelo aliado russo de Bashar al-Assad, foi apresentada como um propósito “humanitário”, mas analistas e rebeldes questionam essa intenção.

Os habitantes de Aleppo se encontram nesta sexta escondidos em suas casas devido aos ataques e avisos dos grupos rebeldes contra o uso desses corredores.

Um dia depois da adoção desses corredores, o regime de Damasco retomou seus bombardeios contra os bairros rebeldes do leste de Aleppo.

 G1 SP


Deixe um Comentário