Economia

Após interdição do Porto-Ilha em Areia Branca, presidente da CODERN vai à Brasília para atender exigências do IBAMA

PORTO FOI INTERDITADO PELO IBAMA E POLÍCIA FEDERAL

Após equipes do IBAMA  e da Polícia Federal terem interditado hoje (12), por tempo indeterminado, o Terminal Salineiro de Areia Branca, mais conhecido como Porto-Ilha, no Rio Grande do Norte, a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) emitiu nota à imprensa, informando que está tomando as medidas necessárias, como a ida do presidente da Companhia até Brasília para se reunir com o Ministério do Meio Ambiente e reverter a situação. Leia:

A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) está concentrando todos os esforços no objetivo de atender as exigências do IBAMA relacionadas ao Terminal Salineiro de Areia Branca. O Diretor-Presidente, Fernando Dinoá Medeiros Filho, está se encaminhando à Brasília para reuniões junto ao Ministério do Meio Ambiente e IBAMA, além da disponibilidade para assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), tendo em vista já dispor de um Plano de Ação elaborado e pronto para ser executado.

De acordo com informações de funcionários do porto, a causa da interdição teria sido, entre outros detalhes técnicos, equipamentos obsoletos.


Deixe um Comentário