Política

Acusados de desviar verba federal na APAMIM, ‘Rosados’ têm imóveis bloqueados pela Justiça

Família é acusada pelo pelos desvios de recursos públicos federais na APAMIM. Foto: De Fato

Família é acusada pelo pelos desvios de recursos públicos federais na APAMIM. Foto: De Fato

Em três processos públicos, os juízes federais Orlan Donato Rocha e Lauro Henrique Lobo Bandeira, respectivamente da 8ª e 10ª Vara Federal de Mossoró, decretaram a indisponibilidades dos bens imóveis (casas e apartamentos) em nome de Sandra Rosado, Laíre Rosado Filho e Larissa Rosado em Mossoró, pelos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos ou valores, e estelionato majorado.

O processo se deve, propriamente, pelos desvios de recursos públicos federais na Associação de Assistência e Proteção à Maternidade de Mossoró (APAMIM), gestora do Hospital Maternidade Almeida Castro, no período que antecedeu a agosto de 2014.

Além dos três, a ação penal recebida pelo juiz federal Orlan Donato Rocha no dia 17 de dezembro de 2015 alcança também Francisco Andrade Silva Filho, Manuel Alves do Nascimento Filho, Maria Goreti Melo Freitas Martins, Maria Melo Forte Cavalcante, Sauane Costa Brusamarello Anderson Luiz Brusamarello, José do Patrocínio Bezerra, Claudio Montenegro Coelho de Albuquerque e Samuelson Pinto Dantas Dinis.

Na ação, o Ministério Público Federal destaca que Laíre Rosado Filho, em conluio com outros agentes públicos e empresários de Mossoró, teriam desviado recursos repassados pela União, através do Convênio 1782/2003, para a APAMIM.

O MPF destaca que Sandra Rosado, então deputada federal, aprovava e tratava da liberação dos recursos em Brasília e o marido dela, Laire Rosado Filho tratava de desviar os recursos através de “uma série de operações, inclusive em conjunto com empresários de Mossoró, numa tentativa de dificultar o rastreamento e o destino final dos recursos.

O juiz analisou as provas e verificou que estavam presentes todos os requisitos para iniciar o processo criminal, com a presença de fortes indícios de autoria e materialidade dos crimes, com documentos e principalmente uma exposição esquematizada de como tudo ocorreu.

Fonte: Com informações de Mossoró Hoje


Deixe um Comentário