Últimas do FM

Tecnologia

Hackers invadem Previdência, mandam recado para Temer, Maia e parlamentares, e ameaçam vazamento contra reforma

Em ato político, hackers invadiram o site da Previdência Social e ameaçam vazar dados de brasileiros no sistema CADPREV. No caso, o ataque busca fazer pressão contra a reforma de previdência, propagada pelo presidente Michel Temer, PMDB e seus aliados. A reforma da Previdência poderá ser votada nas próximas semanas.

“Olá, presidente Michel Temer, presidente Rodrigo Maia e parlamentares, estou em posse da base de dados do sistema CADPREV da Previdência, são milhares de nomes, CPFs, emails, senhas, etc, um tipo de informação sensível que acredito que vocês não querem ver exposta”, notaram os hackers. “O povo não foi consultado para as reformas na Previdência e jamais aceitaria perder direitos garantidos, portanto nesse sentido estou fazendo uma oferta irrecusável: em troca de não expor os dados na Deep Web, peço que o povo seja ouvido e nenhuma reforma que retire direitos seja aprovada, até porque se sabe que o pretexto de rombo na Previdência é uma farsa já denunciada por Auditores da Receita Federal (www.somosauditores.com.br) e por isso não se justificam as mudanças que vão dificultar o acesso aos benefícios, exigir mais tempo de contribuição e reduzir drasticamente os valores a serem recebidos”.

É válido notar que os sites “.gov” são reconhecidamente um queijo-suíço: relatos de invasão aos sites de governos e prefeituras acontecem aos milhares. Além disso, parece que os invasores da Previdência, infelizmente, acreditam que os políticos se preocupam com a integridades de dados da população.

“Apenas 20% dos trabalhadores que já contribuem com a Previdência têm condições de cumprir com os prazos estabelecidos, ficando claro o tamanho da penalização sobre o trabalhador brasileiro e principalmente sobre os mais pobres, já que a idade mínima de 65 anos para homens e 62 para as mulheres os obrigam a trabalharem mais para conseguir o benefício, pois geralmente começam mais cedo, por volta dos 16 anos”, escreveu em manifesto.

“O Governo faz propaganda enganosa e não está cortando privilégios nem corrigindo rombo orçamentário. A Reforma não considera a realidade do trabalhador brasileiro, e o seu objetivo é satisfazer o mercado dando garantias aos bancos, um sistema que sempre penaliza os trabalhadores quando se vê ameaçado. Não podemos permitir que nos tempos de hoje a população seja enganada pelos interesses financeiros que em nada lhes beneficia, pelo contrário, a conta das ineficiências do governo e do mercado sempre recaem sobre o povo, enquanto os verdadeiros privilégios da elite econômica nunca são afetados. Mas é bom lembra-los que o povo não tem que temer seu Governo, o Governo que tem que temer o seu povo. Espero que não seja preciso chegar nas últimas consequências para o povo ser ouvido”, finaliza o manifesto.

Além do manifesto, publicado online no Pastebin, os hackers enviaram ao TecMundo via Denúncia outro link para o Pastebin com uma amostra dos dados de cidadãos. No caso, eles estão em posse de: nome completo, RG, CPF e email — quase 2 mil cidadãos registrados.

Fonte: Tecmundo

Segurança

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016

O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novembro chegou à marca de 355.238, um decréscimo de 9% em relação ao mesmo período de 2016. No entanto, quando avaliada somente a natureza da indenização, os casos de morte cresceram 24% em relação ao mesmo período do ano passado, correspondendo a 37.492 indenizações.

Os dados foram divulgados hoje (11) pela Seguradora Líder, administradora do Seguro Dpvat. Na cobertura por invalidez permanente, total ou parcial, foram registradas 263.923 ocorrências. Embora representem o maior volume de indenizações pagas no período, esse montante foi 15% inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Segundo a Seguradora Líder, a redução de quase 10% no total de indenizações pagas, em comparação com o mesmo período de 2016, reflete, por um lado, a conscientização da população; e, por outro, o rigor adotado pela companhia para combate a fraudes. De acordo com a empresa, foram evitadas, de janeiro a outubro, perdas de R$ 831,9 milhões, sendo R$196,7 milhões em indenizações indevidas não pagas por fraudes comprovadas.

“O Seguro Dpvat é de todos os brasileiros e tem como principal missão amparar as vítimas em momentos de vulnerabilidade. Por isso, estamos investindo em modernização de sistemas e no uso de tecnologias de última geração para pagar certo a quem tem direito”, afirmou, em nota, Ismar Tôrres, diretor-presidente da Seguradora Líder.

Motocicletas

No período de janeiro a novembro de 2017, os acidentes com motocicletas foram responsáveis por 74% das indenizações pagas pelo Seguro Dpvat. A região Nordeste continua com o maior número de casos de acidentes envolvendo este tipo de veículo, que responde por 63% das mortes no trânsito na região. A empresa destaca que as motocicletas representam apenas 28% da frota do país.

De janeiro a novembro, a maior incidência de indenizações pagas foi para vítimas do sexo masculino, mantendo o mesmo perfil identificado em anos anteriores. Pessoas com idades entre 18 e 34 anos foram as mais atingidas no período, representando 49% do total, o que corresponde a cerca de 172 mil indenizações pagas.


Geral

Michel Temer faz exames médicos no Palácio do Planalto

O presidente da República, Michel Temer, realizou exames médicos nesta segunda-feira, 11, no Palácio do Planalto, em Brasília.

O presidente da República, Michel Temer, realizou exames médicos nesta segunda-feira, 11, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Foi feita uma avaliação de ordem urológica, no posto médico do Palácio, mas não foram detectadas anormalidades. Os exames tinham por objetivo monitorar os resultados de procedimentos pelos quais Temer passou recentemente.

Segundo assessores da Presidência, o exame estava previsto e haverá outros ainda na rotina de acompanhamento médico depois que Temer teve complicações urológicas (ele chegou a colocar uma sonda) e cardiológicas (teve obstrução arterial e precisou implantar stents).

Política

Facebook está destruindo a sociedade, diz antigo executivo da empresa

O Facebook é enorme e possui mais de 2 bilhões de usuários, então não é surpreendente pensar que ele influencia muito a vida do mundo quase inteiro. Um antigo executivo da rede social acredita que essa influencia está longe de ser positiva – e ele não é o primeiro ex-Facebook a criticar as transformações causadas pela empresa na sociedade.

Chamath Palihapitiya entrou no Facebook em 2007 e ajudou na construção do império de Mark Zuckerberg ocupando o cargo de vice-presidente de crescimento de usuários. Palihapitiya deixou a empresa em 2011 e acredita que, nos seis anos seguintes, o crescimento do Facebook se tornou um problema para a sociedade.

“Eu acho que criamos ferramentas que estão destruindo o tecido social de como a sociedade funciona”, atacou em uma palestra para estudantes da Universidade de Stanford. Palihapitiya não se refere especificamente a casos como os anúncios russos que influenciaram as eleições presidenciais dos EUA, e nem sobre como as notícias falsas se espalham com facilidade pela rede social.

A crítica dele se concentra na forma como o Facebook funciona – a busca constante de curtidas para as pessoas se sentirem bem. “Não há discursos civil, não há cooperação; há desinformação. E esse não é um problema americano – não é sobre anúncios russos. É um problema global,” continuou.

Palihapitiya vê o Facebook como uma boa ferramenta para pessoas má intencionadas, que podem usá-lo para manipular opinião pública. Ele diz que seus filhos não estão autorizados a entrar na rede social.

O Facebook não foi o único alvo do executivo, que também criticou o Vale do Silício como um todo. Ele acredita que investidores jogam dinheiro em “empresas idiotas e inúteis” e deixam de lado problemas reais do mundo, como saúde e mudança climática.

Não é a primeira vez que um ex-funcionário do Facebook critica o poder excessivo que a rede social construiu com o passar dos anos. Um antigo gerente de produto do Facebook, Antonio Garcia-Martinez, escreveu um livro explicando como o Facebook mente sobre a capacidade de influenciar pessoas com base nos dados coletados sobre ela. Já o investidor Sean Parker disse recentemente que o Facebook “explora uma vulnerabilidade na psicologia humana”, e por isso ganhou tanta força.

Fonte: Olhar Digital