Últimas do FM

Política

Em sua despedida do Senado, Garibaldi diz que prosseguirá lutando pelo RN

ELE ACRESCENTOU QUE ENCERRA SEU MANDATO COM A CERTEZA DE TER CUMPRIDO DA MELHOR FORMA POSSÍVEL. (FOTO: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO)

Em seu discurso de despedida do Congresso Nacional, o senador Garibaldi Filho garantiu que continuará trabalhando em favor dos interesses do Rio Grande do Norte. “Em qualquer luta a favor do estado, eu sempre estive no pelotão de frente. A causa do povo potiguar é – e continuará sendo – a minha causa”, afirmou. Ele acrescentou que encerra seu mandato com a certeza de ter cumprido da melhor forma possível a missão que o eleitor potiguar o conferiu.

“Tenho orgulho de dizer que a minha trajetória representou o cumprimento de todos os compromissos que assumi com os cidadãos, desde o princípio, sobretudo os do meu estado. De forma suprapartidária, sempre coloquei o Rio Grande do Norte em primeiro lugar”, registrou. Ele fez uma retrospectiva dos vários mandatos e cargos que ocupou. Lembrou, por exemplo, de programas como o do Leite e das adutoras, que implantou quando prefeito de Natal e governador do RN.

O programa do leite, lembrou Garibaldi, reduziu a mortalidade infantil, salvando a vida de centenas de crianças. Já as adutoras levaram para milhares de sertanejos água de boa qualidade para beber. “Acredito que as melhores obras e iniciativas são aquelas que beneficiam sobretudo aos que mais precisam”, observou. Assumindo a Presidência do Senado em um momento de forte tensão política, Garibaldi apaziguou os ânimos e devolveu o Congresso Nacional à sua rotina de sensatez e trabalho pelo Brasil.

Como ministro da Previdência Social, enumerou Garibaldi, ele ampliou o número de contribuintes empreendedores individuais em seis vezes, abriu a possibilidade de as donas de casa passarem a ter direito aos benefícios previdenciários e implantou os fundos de pensão para os servidores públicos. De volta ao Senado, depois da tarefa no Ministério, focou o seu trabalho na tentativa de minimizar as consequências da seca e do agravamento da violência.

Reconhecendo a gravidade do momento atual, Garibaldi externou seu desejo de que os senadores potiguares que assumirão em fevereiro do próximo ano tenham sucesso na tarefa de trabalhar pelo Rio Grande do Norte. “A Jean-Paul Prates, Zenaide Maia e Styvenson Valentim manifesto votos de êxito, e que honrem o encargo que receberam”, declarou.

Política

Recurso final para a implantação do teleférico de Santa Cruz é liberado e o deputado Tomba Farias agradece apoio do presidente Temer e de Henrique Alves

COM A VERBA GARANTIDA, A CONSTRUÇÃO DO TELEFÉRICO DE SANTA CRUZ ENTRA NA RETA FINAL E O EQUIPAMENTO DEVERÁ INICIAR A SUA OPERAÇÃO ATÉ O FINAL DE 2019

Através de sua página no Facebook, o deputado estadual Tomba Farias (PSDB) comemorou na tarde desta terça-feira (18), a liberação do aporte final para a implantação do Teleférico de Santa Cruz, no valor de R$ 1.800.000,00, recursos estes viabilizados com o respaldo pessoal do presidente Michel Temer, “que hoje deu essa boa notícia ao nosso povo, ao Rio Grande do Norte e à cidade Santa Cruz”.

Com a verba garantida, a construção do teleférico de Santa Cruz entra na reta final e o equipamento deverá iniciar a sua operação até o final de 2019, alavancando o turismo religioso do Rio Grande do Norte e tornando Santa Cruz um dos mais importantes polos turísticos do País.

Além de fazer um agradecimento espacial ao presidente Temer, Tomba Farias fez  também agradeceu ao ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves (PMDB), cujo apoio foi fundamental para “fazer o sonho do teleférico tornar-se realidade”. Tomba lembra que Henrique Alves tem participação direta na viabilização de várias obras importantes para o turismo potiguar, a exemplo da ampliação do Centro de Convenções de Natal e do Museu da Rampa.

Geral

Justiça nega habeas corpus para o médium João de Deus, suspeito de abusos sexuais em Abadiânia

O médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, deixando o IML — Foto: Ernesto Rodrigues/Estadão Conteúdo

O MÉDIUM JOÃO TEIXEIRA DE FARIA, O JOÃO DE DEUS, DEIXANDO O IML — FOTO: ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDO

A Justiça negou nesta terça-feira (18) o habeas corpus para o médium João de Deus, suspeito de abusos sexuais contra mulheres durante atendimentos espirituais em Abadiânia. Ele está preso no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia após se entregar à Polícia Civil.

O desembargador Jairo Ferreira Júnior foi o responsável por analisar o pedido em caráter liminar, feito pelo advogado Alberto Toron. Em nota, ele disse que pretende recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Apenas a liminar foi apreciada e negada. O julgamento final do habeas deverá se dar após o recesso. Discordamos da decisão e vamos recorrer ao STJ”, declarou.

Mais cedo, a Polícia Civil fez buscas em endereços ligados ao médium– incluindo a Casa Dom Inácio de Loyola, onde ele atendia — para tentar colher novas provas para as investigações. Entre os objetivos da corporação estava verificar a sala onde supostamente ocorreram os abusos.

A situação atual

  • Ministério Público recebeu 506 relatos de abusos sexuais
  • Das mulheres que denunciaram caso ao MP, 30 já foram ouvidas
  • Polícia Civil colheu depoimentos de outras 15 mulheres. Apenas 1 caso vai virar inquérito
  • Há relatos de supostas vítimas de seis países e vários estados brasileiros
  • Médium é investigado por estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude
  • MP e polícia também querem apurar denúncia de lavagem de dinheiro
  • Não há pedido para suspensão do funcionamento da Casa Dom Inácio de Loyola

Investigação

João de Deus teve a prisão decretada na sexta (14) a pedido da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO), que investigam os relatos de abuso sexual durante atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola. No domingo, ele se entregou à polícia em uma estrada de terra em Abadiânia.

O médium prestou depoimento na noite de domingo, durante três horas. João de Deus afirmou à Polícia Civil que, antes de as denúncias de abuso sexual virem à tona, foi ameaçado por um homem, por meio de uma ligação de celular. Além disso, negou os crimes e que tenha movimentado R$ 35 milhões nos últimos dias.

Segundo o advogado Alberto Toron, o pedido de habeas corpus foi protocolado nesta segunda-feira (17). Em entrevista no domingo, ele citou como alternativas possíveis uma prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica. Além disso, negou que tenha havido intenção de fuga.

O jornal “O Globo”, a TV Globo e o G1 têm publicado nos últimos dias relatos de dezenas de mulheres que se sentiram abusadas sexualmente pelo médium. Os casos vieram à tona no programa Conversa com Bial de 7 de dezembro. Não se trata de questionar os métodos de cura de João de Deus ou a fé de milhares de pessoas que o procuram.

G1

Política

MP processa Robinson Faria e ex-secretário de saúde por criação irregular de programa em ano eleitoral

PROJETO FÔLEGO NOVO, QUE REALIZOU 918 CIRURGIAS ITINERANTES EM HOSPITAIS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SAÚDE, FOI USADO PARA BENEFICIAR O ENTÃO CANDIDATO A REELEIÇÃO ROBINSON FARIA

O Ministério Público Eleitoral ingressou com uma ação de investigação judicial eleitoral (AIJE) contra o atual governador Robinson Faria, contra o ex-secretário de saúde do estado e mais dois servidores da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) por abuso de poder político e conduta vedada. O MP Eleitoral sustenta que o ex-secretário, acompanhado do adjunto e da subcoordenadora de Serviços de Referência da Sesap teriam criado o programa, não executado orçamentariamente em ano anterior, não previsto em lei ou ato administrativo, fora do controle da Central de Regulação de Leitos, sem anuência ou conhecimento do Conselho Estadual de Saúde, em pleno ano e período eleitoral, não se estando ainda diante de situação emergencial ou de calamidade pública.
Além de toda a situação irregular, os serviços foram prestados a potenciais eleitores, escolhidos sem critérios objetivos, em desrespeito à fila do Sistema Único de Saúde, como típica medida de promoção de assistência do Estado em troca de votos. Esses serviços, ainda, foram custeados pelo poder público, com recursos públicos, sem lastro contratual, mediante pagamento de “indenizações” a entidades hospitalares privadas não vinculadas ao SUS, nem submetidas a procedimentos prévios de licitação, dispensa ou inexigibilidade de licitação ou mesmo de simples credenciamento.
“Houve na situação nítido uso indevido, desvio e abuso de autoridade, em favor do governador do Estado do Rio Grande do Norte, na época candidato a reeleição, por parte do então Secretário de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Pedro de Oliveira Cavalcanti Filho, do Secretário Adjunto de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Sidney Domingos Ferreira de Souza e Santos, bem como da Subcoordenadora de Serviços de Referência da SESAP/RN, Gyankarla Mendes Álvares de Melo, os três últimos envolvidos mais diretamente na implementação do chamado Projeto Fôlego Novo”, destaca a AIJE. Todos eles incidiram, assim, na figura do abuso de poder político (art. 22 da Lei Complementar n. 64/1990), assim como nas condutas vedadas descritas no art. 73 da Lei n. 9.504/1997.
“Foram realizadas 918 cirurgias de catarata, em municípios do interior potiguar, entre maio e agosto de 2018, para angariar a simpatia de parte da população e, consequentemente, conseguir votos em favor do primeiro, governador do estado e candidato a reeleição no pleito deste ano”, sustenta. Para o MP Eleitoral, embora o atual governador não tenha sido reeleito, o critério quantitativo não é indispensável à caracterização do ato abusivo ou mesmo da conduta vedada, não sendo nem sequer necessário que o candidato tenha se sagrado vitorioso na disputa eleitoral.
Se forem condenados, os envolvidos podem ficar inelegíveis por oito anos subsequentes às eleições de 2018 e podem ter que pagar multa de até R$ 300 mil.